Fechar


Cadastre-se
Você está aqui:   Página Inicial   Leia mais   Português para Concursos   Leia mais   Algumas expressões que causam dúvidas - Uma análise criteriosa
Mais Menos RSS - Algumas expressões que causam dúvidas - Uma análise criteriosa

Português para Concursos

Algumas expressões que causam dúvidas - Uma análise criteriosa

Atenha-se a esta ocorrência e confira alguns pressupostos!

Publicado em 16/09/2010 11:43:04


Em se tratando do padrão formal da linguagem, geralmente algumas expressões se tornam alvo de vários questionamentos acerca da grafia correta, mais precisamente pelo fato de apresentarem uma notória semelhança sonora.

O emprego correto que a elas se atribui muitas vezes está condicionado a fatores sintáticos e, principalmente, semânticos. Em virtude de tais pressupostos, apresenta-se a seguir uma listagem contendo os principais casos representativos, de modo a evitar que cometamos alguns tropeços no momento da escrita e em determinadas circunstâncias (concebidas como formais), nas situações que envolvam a oralidade.

Abaixo /A baixo

“Abaixo” significa um lugar com elevação inferior.

Ex.: Comparando as médias, a sua está muito abaixo da minha.

“A baixo” retrata o sentido de “para baixo”.

Ex.: Empurraram-no escada a baixo.

Observação: O mesmo ocorre com as expressões “acima/ a cima”.

A cerca de / Acerca de / Cerca de / Há cerca de

“A cerca de” ou “cerca de” expressam o sentido de “aproximadamente”.

Ex.: O episódio ocorreu a cerca de dois metros da minha residência.

“Acerca de” traduz o sinônimo da expressão “a respeito de”.

Ex.: Discutimos acerca de todos os projetos apresentados.

“Há cerca de” exprime a ideia de tempo decorrido, revelando a noção de “faz aproximadamente”.

Ex.: Há cerca de dois anos visitei todos os familiares.

A fim / Afim

“A fim” constitui “a fim de”, retratando o sentido de “com o objetivo de”.

Ex.: A fim de evitar confusão, resolveu não comparecer às festividades natalinas.

“Afim” representa um adjetivo variável, cujo significado é expresso por “semelhante”, “que possui afinidade”.

Ex.: Nesta grade curricular contém disciplinas afins. (semelhantes)

À medida que / Na medida em que

A expressão “à medida que” expressa proporção, desenvolvimento simultâneo.

Ex.: À medida que passava o tempo, a saudade ia aumentando.

“Na medida em que” exprime relação de causa, equivalendo-se a “porque”, “já que”, “uma vez que”.

Ex.: Na medida em que não se preocupava em se esforçar, seu rendimento ia decaindo.

A menos de / Há menos de

“A menos de” caracteriza-se como uma locução prepositiva, expressando a ideia de tempo futuro ou distância aproximada.

Ex.: A menos de dois meses já estaremos de férias.

“Há menos de” significa “aproximadamente” e o verbo haver, na qualidade de impessoal (3 ª pessoa do singular) , indica tempo decorrido.

Ex.: Estou sem vê-lo há menos de uma semana.

Ao encontro de / De encontro a

A expressão “ao encontro de” retrata o sentido de “a favor de algo”.

Ex.: Os projetos implantados vieram ao encontro de meus objetivos.

“De encontro a” expressa o sentido de oposição a algo.

Ex.: Suas atitudes vão de encontro aos meus princípios.

Ao invés de / Em vez de

“Ao invés de” significa “ao contrário de”, indicando, portanto, oposição.

Ex.: Ao invés de aplaudir, fez críticas horrendas.

“Em vez de” significa “em lugar de”, expressando substituição.

Ex.: Em vez de sair, preferiu ficar em casa.

A par / Ao par

“A par” expressa o sentido de “estar ciente, informado sobre algo”.

Ex.: Estamos a par de todos os últimos acontecimentos.

A expressão “ao par” somente deve ser empregada no sentido de indicar equivalência cambial.

Ex.: O dólar já esteve quase ao par do real.

Demais / De mais

“Demais” se caracteriza como advérbio de intensidade equivalente a excessivamente, muito, ou também como pronome indefinido, correspondendo a “os restantes, outros”.

Exemplos:

Durante o show cantamos demais.

Na sala, ele se destacava entre os demais.

“De mais” revela o oposto da expressão “de menos”.

Ex.: Há alunos de mais nesta sala.

Há / A

“Há” representa a 3ª pessoa do singular do verbo haver (impessoal, portanto), devendo ser empregada no sentido de existir ou fazer.

Há muitas propostas por parte dos candidatos.

Não o vejo há dois dias.

“A” revela tempo futuro.

Ex.: A mostra cultural será daqui a algumas semanas.

Mas / Mais

“Mas” representa uma conjunção coordenada adversativa, indicando ideia contrária, oposição.

Ex.: Não compareci à aula, mas entreguei a pesquisa.

“Mais” expressa quantidade, caracterizando-se como advérbio de intensidade ou pronome indefinido.

Exemplos:

Precisamos de mais explicações.

Carlos é o mais extrovertido de todos.

Aonde / Onde

“Aonde” é usado com verbos que indicam movimento.

Ex.: Aonde você vai com tanta pressa?

“Onde” é utilizado com verbos que indicam estaticidade.

Ex.: Onde mora este garoto?

Por que/ Porque / Por quê / Porquê

“Por que” deve ser utilizada levando-se em consideração a presença de dois elementos: a preposição “por” + o pronome “que”. Assim sendo, atentemo-nos à sua utilização:

* No caso de equivaler a “pelo qual” e demais variações, temos a preposição “por” + o pronome relativo “que”.

Ex.: Este é o caminho por que passei. (pelo qual)

* No caso de equivaler a “por qual motivo”, temos a preposição + o pronome interrogativo “que”.

Ex.: Por que não compareceu ao aniversário? (por qual motivo)

“Porque” indica uma conjunção, a qual se equivale a “uma vez que”, “visto que”, “pois”, “para que”.

Ex.: Não compareci ao aniversário porque estava um pouco indisposta.

“Por quê”, situado no final da frase, indica um pronome interrogativo, devendo, portanto, possuir acento circunflexo.

Ex.: Sua atitude me desagradou. Agiu assim por quê?

“Porquê” é usado na condição de substantivo, expressando o sentido de “razão, “motivo”. Neste caso aparece sempre precedido de um determinante.

Ex.: Realmente não sei o porquê de tanta ironia. (o motivo)

Senão / Se não

“Senão” equivale a “do contrário”, “a não ser”, “mas sim”.

Ex.: Não fazia outra coisa senão estudar.

“Se não” equivale a “caso não” indicando, pois, uma possibilidade.

Ex.: Se não chover, iremos ao clube.

Tampouco / Tão pouco

“Tampouco” se equivale a “também não”.

Ex.: Como não respeita ninguém, tampouco merece ser respeitado.

“Tão pouco” possui o sentido de “muito pouco”.

Ex.: Eu o vejo tão pouco, por isso nem recordo de seus aspectos fisionômicos.

Por Vânia Duarte
Especial para o Banco de Concursos

Comentários

Interagir

Sou
Cadastrado

Cadastre-se

Esqueci a Senha

Seja o primeiro a comentar este texto










+ Dicas

26

Twitter

Veja também